48 horas em Roma: Uma fuga para o paraíso latino

Publicado em 

48 horas em Roma: Uma fuga para o paraíso latino

A grande viajante Alice Roman se presenteia com uma estadia de 48 horas na cidade das sete colinas. Ela nos fala sobre seu périplo e estabelecimentos preferidos entre história, gastronomia e doçura de viver à moda italiana.

48 horas em Roma: Uma fuga para o paraíso latino

Telhados de Roma no Hotel de Russie

Sexta-feira, 18h15 – A janela do meu grande quarto tem vista para a Piazza del Popolo barroca, com seu obelisco de Heliópolis, suas três igrejas e duas fontes. Estou em Roma, a 300 metros da Villa Borghese, deitada por dois minutos em minha cama king size imitando a pose da linda Pauline Borghèse, a irmã favorita do Imperador Napoleão I pelo o cinzel de Antonio Canova. Em 1917, Jean Cocteau já descrevia o Hotel de Russie como um “Paraíso na Terra”.Aqui, quartos e salas emprestam-se a tons delicados aos olhos, variando de azul-esverdeado a areia ou marfim com nuances mais sofisticadas de ametista... Um éden neoclássico neutro, em suma, com um mobiliário heteróclito, misturando elegantemente estilos.

Hotel de Russie
Via del Babuino, 9
00187 Roma
grandluxuryhotels.com/hotel/hotel-de-russie

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

48 horas em Roma: Uma fuga para o paraíso latino

Coquetel com um monstro sagrado da cozinha italiana

18h45 – Apenas tempo para pintar meu nariz, trocar New Balance e jeans por um lindo vestido de primavera, lã e salto alto que já, no elegante Stravinskij Bar, saboreio um delicioso Spritz, preparado com Aperol, aperitivo nativo de Pádua, Prosecco e água com gás. Muito honrada, converso sobre gastronomia com um monstro sagrado da cozinha italiana, o flying chef de luxo Fulvio Pierangelini, que, auxiliado por Nazzareno Menghini, renova a cozinha do muito criativo Jardin de Russie. No esplêndido terraço perfumado florescem os lilases.

Stravinskij Bar
Via del Babuino, 9
00187 Roma
www.roccofortehotels.com/fr/stravinskij-bar

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

48 horas em Roma: Uma fuga para o paraíso latino

Ópera gastro-pop no Romeo e Giulietta Bowerman

20h – Hoje à noite, experimento o novo e aguardado endereço da premiada chef Cristina Bowerman, embaixadora da Expo Mundial de Milão em 2015. O Romeo & Giulietta, aberto desde 13 de março de 2017, está localizado em uma impressionante área de 2.000 m2: descubro uma antiga concessionária de automóveis que agora combina um restaurante, uma padaria e uma sorveteria. A intriga de Shakespeare não inclui aqui os Montéquios e Capuletos, mas a Califórnia e o solo italiano (romana com cabelos rosas, a excepcional Cristina Bowerman é nativa da Apúlia). Isso dá, por exemplo, um surpreendente rabo de boi, com seu coulis de aipo e crumble de chocolate para uma rabada digna do nome!

Romeo e Giulietta Bowerman
Piazza dell'Emporio, 28
00153 Roma

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

48 horas em Roma: Uma fuga para o paraíso latino

Imersão no Altar da Paz de Augusto

22h30 - Nas margens do Tibre, no Campo de Março, aqui estou de frente para o Ara Pacis (Altar da Paz), construído entre 13 e 9 AC durante a era do Imperador Augusto. Poucos monumentos conseguem tanto transmitir as crenças, ideais e as ambições de uma classe dominante no auge de seu poder. Com uma máscara no nariz, revivo sua história graças ao projeto multimídia Ara Com'Era, uma visita imersiva e multisensorial onde personagens e animais ganham vida em 3D para ilustrar as origens da Roma antiga. De volta ao meu palácio, eu me imagino usando sandálias com contas, com um vestido apertado na até os pés, coberta com um grande xale, a palla.

Museo dell'Ara Pacis
Lungotevere in Augusta
00186 Roma
www.arapacis.it

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

48 horas em Roma: Uma fuga para o paraíso latino

O romano sob medida 

Sábado, 9h30 – Esta manhã, vou conhecer as duas mais prestigiadas oficinas de artesanato da cidade. A uma caminhada de 15 minutos do hotel, Via Francesco Crispi, entro na loja do famoso designer de calçados Marini.
Aqui estou com Marini Calzature, que cresceu no meio da idade de ouro romana (anos 50 e 60), calçando Marcello Mastroianni, Gregory Peck em A Princesa e o Plebeu,Anna Magnani, Sergio Leone, depois Gianni Agnelli, Elisabeth II, o Presidente dos Emirados Árabes Unidos ou Robert de Niro. Há muito tempo, tudo começa aqui com um metro, um lápis e um papel.

A 100 metros, entro em outro templo de elegância romana, no alfaiate Gaetano Aloisio. A linda costura italiana é dividida em três andares graças a uma clientela essencialmente estrangeira, num universo ultraclássico dedicado à alta precisão de estilo e medidas. Tudo é produzido internamente com uma força de trabalho de 25 pessoas. 

Marini Calzature
Via Francesco Crispi, 97
00187 Roma
marinicalzature.it

Gaetano Aloisio
Via di Porta Pinciana, 1
00187 Roma
www.gaetanoaloisio.com

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

48 horas em Roma: Uma fuga para o paraíso latino

Street food na cidade eterna 

11h30 – Cerca de 15 minutos de táxi (ou 30 minutos a pé) são necessários para chegar a este novo templo da street food localizado ao longo do rio Tibre. Inaugurado em 13 de novembro de 2016 por quatro amigos, o restaurante Pianostrada Laboratorio di Cucina oferece aulas de culinária. Aprendo a fazer a focaccia romana e o delicioso spaghetonni (espaguete com aspecto mais consistente)
Uma hora depois, provo o verdadeiro sabor de Roma com uma reinterpretação de receitas tradicionais e ingredientes de frescor incomparável.

Pianostrada Laboratorio di Cucina
Via delle Zoccolette, 22
00186 Roma

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

48 horas em Roma: Uma fuga para o paraíso latino

Caminhada ao longo do rio Tibre

14h – Saindo do restaurante, vou até o cais (na ponte de Sisto) para conhecer o trabalho efêmero do artista sul-africano William Kentridge que decorou as margens do rio Tibre. Em mais de 500 metros, mais de 80 personagens, às vezes de até 10 metros de altura, retraçam a história de Roma, desde os mitos da Roma antiga até o presente. Os Triunfos e Lamentações de Roma – este é o título do trabalho – associam cada triunfo com uma dor porque, por trás de cada vitória, há um derrotado. Do assassinato de Remus por Romulus ao de Pasolini, ao afogamento de migrantes ao norte de Lampedusa, a simples técnica de estêncil revela a impressão do desenho efêmero – nossa memória – na cidade eterna. Dentro de quatro a cinco anos, o trabalho desaparecerá, coberto pela poluição.

“Triunfos e Lamentações de Roma”
Piazza Tevere
00186 Roma

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

48 horas em Roma: Uma fuga para o paraíso latino

O efeito Olivetti na CasaCau 

15h –- Após este passeio edificante ao longo das margens do Tibre, é hora de voltar ao Hotel de Russie. Depois de uma noite neste magnífico palácio, mudo para a CasaCau, nas imediações da Fonte de Trevi. Tenho sorte, o Right Corner Apartment no segundo andar está livre. É o meu preferido com seus 49 m2 – o luxo é espaço –- sua grande sala de banho com banho turco e, principalmente, à frente da cama, a reprodução de uma parte do fresco Villa Livia,um locus amoenus (“lugar idílico”) que me permitirá dormir ainda melhor. Na mesa do salão está uma máquina de escrever Olivetti. Me vejo diretamente no enredo de A Modificação, de Michel Butor, prêmio Renaudot 1957 e apóstolo do novo romance. Não me permito embarcar na vertigem interior do personagem, que transgride, em Roma, a fronteira do real em relação à ficção. Rapidamente, venho contemplar os afrescos de Villa Livia, a verdadeira. 

CasaCau
Via in Arcione 94
00187 Roma
casacau.com

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

48 horas em Roma: Uma fuga para o paraíso latino

Ninfeu subterrâneo da Villa Livia 

17h – Perto da Piazza della Repubblica, no antigo Palazzo Massimo alle Terme, está o Museu Arqueológico de Roma (construção do século XVI, reconstruído no século XIX). Subo de quatro em quatro os degraus da escada até o segundo andar e chego à sala dedicada ao famoso ninfeu subterrâneo da Villa Livia. O afresco, que data de 40 a 20 AC. tipo ilusão de ótica, apresenta atrás de uma fina balaustrada de juncos, uma pintura de paisagem em que a magnificência de um jardim explode nas quatro paredes da sala. Aqui, sob o azul do céu, encontram-se todas as estações habitadas por alguns pássaros que bicam frutas. Neste universo poético de grandeza natural, o louro está muito presente, necessário para vencer e celebrar a vitória. Sentada de frente para o afresco, sentindo quase o frescor do jardim, listo seus elementos botânicos. Sinto-me sugada por esta paisagem, provavelmente consagrada a Vênus, separado das paredes cegas e subterrâneas da vila de Livia para ser preservada, aqui desde 1951. Uma obra-prima pura! 

Palazzo Massimo alle Terme
Museo Nazionale Romano
Largo Villa Peretti, 67
00185 Roma

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

48 horas em Roma: Uma fuga para o paraíso latino

Nápoles, em um prato em Roma

19h30 –Todas os caminhos levam a Roma, dizem, pensando especialmente no de Cinecittà! É muito perto desses platôs lendários, em um bairro um pouco fora do caminho, que eu tenho um encontro com uma amiga de origem napolitana, Raffaella, para um jantar na pizzaria Loffredo. A atmosfera é sempre alegre e amigável e a pizza suculenta, “Como em Nápoles” ela me garante. Mais tarde, vamos degustar, no apartamento, uma taça de Frascati - o melhor vinho branco do Lácio. Uma atenção do serviço de concierge da CasaCau, conhecida pelas suas delicadas atenções

Pizzeria Loffredo
Via Vestricio Spurinna, 53
00175 Roma
www.pizzerialoffredo.com

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

48 horas em Roma: Uma fuga para o paraíso latino

Stazione Termini com De Sica

Domingo, 12h – É hora de arrumar as malas e pensar em ir para casa. Por uma vez, saindo de Roma, decido pegar o transporte público e me presentear com uma pequena “viagem” cinematográfica. Eu ando da Via in Arcione até a parada de ônibus. Como Jennifer Jones em Quando a mulher erra, de Vittorio De Sica (1953), pego o 85. Nove minutos depois, chego à estação Roma-Termini, o que me permitirá chegar ao aeroporto – localizado a cerca de 30 quilômetros – em apenas 30 minutos, graças ao Leonardo Express.
Adoro a longa marquise das estações italianas mais frequentadas, muito “fifties”, projetada pelos arquitetos Montuori e Vitellozzi, que oferece um contraste impressionante com o aspecto retilíneo do edifício. Os romanos o batizaram de “Dinossauro”. Aqui estou na mesma posição que Jennifer Jones, torturada por seu amor por um belo italiano (Montgomery Clift no filme de De Sica). Sob as nervuras de concreto da marquise, estou na barriga da serpente, tendo que deixar a cidade eterna, no entanto tão ansiosa por permanecer aqui...

Estação Roma-Termini (Stazione di Roma Termini)
Piazza dei Cinquecento, 1
00185 Roma
www.romatermini.com