Lido: imortalizado pelo cinema e pela literatura

arte e cultura
Lido: imortalizado pelo cinema e pela literatura

Uma estreita faixa de areia se transformou em uma terra de lendas.

Por um longo tempo, era apenas um banco de areia no qual Lord Byron cavalgava. Depois, quando chegou a hora de se banhar no mar, a Europa descobriu o Lido. Palácios como o Excelsior e o Grand Hotel des Bains, as villas de estilo Liberty se mostram ao longo de sua praia. E ainda os carros. O Lido é ainda o único local de Veneza onde é possível circular de carro.

Sua névoa, entre brisa e siroco, inspirou Thomas Mann com seu romance Morte em Veneza, adaptado ao cinema por Luchino Visconti alguns anos depois, dando ao Lido para sempre sua aura romântica. Hoje em dia, descemos ao bosque de pinheiros de Alberoni catar conchas, tirar um cochilo em uma espreguiçadeira antes de beber prosecco em Quattro Fontane, onde ainda hoje se encontram hoje cineastas da Mostra.