Passeio em Saint-Pierre: lembranças da erupção vulcânica

insÓlito
Passeio em Saint-Pierre: lembranças da erupção vulcânica

Aqui, o visitante tem um encontro marcado com a história: em 1902, o vulcão destruiu a cidade. Mas hoje, ela está bem viva.

Tendo sido, durante muito tempo, um centro econômico e cultural habitado por uma rica burguesia, Saint-Pierre se desenvolveu ao longo dos séculos graças à indústria açucareira. Seu porto era um dos mais movimentados do Caribe. Até 8 de maio de 1902. Naquele dia, a erupção do monte Pelée, o vulcão que domina a cidade do alto de seus 1 397 metros, devastou-a inteiramente.

Uma nuvem ardente provocou a morte de 26 mil pessoas, milhares de casas foram destruídas, cerca de quarenta embarcações afundaram na baía. Saint-Pierre foi riscada do mapa do município antes de renascer algumas décadas mais tarde. Após tornar-se uma cidade dedicada à arte e à história, ela se debruça, hoje, sobre o seu passado, que vem sendo restaurado pacientemente.

Os visitantes passeiam pelas ruas, visitam a catedral, os escombros do manicômio Maison Coloniale de Santé e do Théâtre que, segundo dizem, foi calcado no projeto do Teatro de Bordeaux. Também é possível visitar a cela onde o prisioneiro Cypari, um dos dois sobreviventes da tragédia, estava encarcerado: as espessas paredes da prisão o protegeram.

Office de tourisme de Saint-Pierre
Villa Sainte Anne
Rue Victor Hugo
97250 Saint-Pierre

Fone: +596 (0)5 96 78 34 05

http://www.accueil-martinique.fr/EN/