Taha'a, o reino da baunilha

circuito gastronÔmico
Taha'a, o reino da baunilha

Enquanto Raiatea, sua vizinha com quem ela compartilha a laguna, é sagrada, ela é uma ilha perfumada… com aroma de baunilha, cultivada aqui desde o século XIX.

Entre as ilhas Sous-le-Vent, Taha'a exala aromas abaunilhados, que vêm das diversas plantações que praticam o "casamento" das flores. Uma operação de nome poético, uma manipulação delicada e essencial: para se tornar uma vagem, a flor de baunilha, que não pode se autofecundar, precisa de uma intervenção divina. Um inseto polinizador, e seria este o fruto do acaso. Vem a mão de homem, e isso se torna uma arte. O homem, que antes de poder desenvolver a técnica da fecundação artificial, teve a ideia de importar esta orquídea originária da América central para as ilhas polinésias, em meados do século XIX.

Uma subespécie, a Vanilla tahitensis, surgiu, e se tornou uma especiaria muito apreciada pelos amantes da cozinha. Taha'a é responsável por 80% da produção polinésia e diversos produtores de baunilha irão lhe abrir as portas para mostrar a técnica, desde a polinização até a secagem das vagens ao sol. O sobrenome de "ilha baunilha" não foi atribuído à toa a esta ilha.